TEATRO

DENTRO

Sónia Barbosa



Local | Rua do Comércio, 94

Horário | 15, 16, 18 e 20 de Julho – 1ª sessão - 19h00 | 2ª sessão – 22h00

Público-alvo | > 12


Dramaturgia e encenação de Sónia Barbosa

a partir de Anton Tchekhov e outras histórias de vida

com Daniel Pinto e Sónia Barbosa


Filmagens e edição de vídeo | Frederico Lobo

Luz | Cristóvão Cunha

Assistência | Cristina Ferrão

Produção | Cul de Sac

Participação especial | Marco Aurélio Almeida e Slava Boradenko



Dentro de casa há quartos pequenos e salas amplas.
Escadas íngremes e corredores compridos.
Dentro do Ser também.
Há muitos compartimentos, espaços, lugares, passagens, esconderijos.
Quase sempre mostramos as salas mais bonitas da nossa alma, aos que entram para
nos visitar.

Mas se os lugares recônditos, empoeirados, escuros, estreitos, obtusos, tortuosos
ficarem sempre fechados, inacessíveis, renegados,

Como conseguiremos ser um todo?
Como pode a nossa casa-vida Ser quem É com tantas portas fechadas?
Como podem as grandes salas serem grandes, luminosas e acolhedoras,
Sem alicerces enterrados na terra, sótãos empoeirados, caves assustadoras,
Escadas difíceis de subir?


Esta é uma casa-vida-ficção, feita de claro-escuro, fragilidades assumidas,
Perguntas dolorosas que ficam sem resposta,
Mas que nos ajudam a aceitar o mistério de sermos infinitamente finitos.
Aquilo que está dentro corresponde exatamente àquilo que está fora.



*Entrada limitada. Para reserva contacte: 966 414 213



Agradecimentos | Guarda-Roupa do TNSJ, Naco, CriaVerde, CPR, Guarda-Roupa ESMAE, Sr. Hélder Correia, Sr. Paulo Domingos, Sr. José Moreira, Tomás Henrique Oliveira, Paulo Matos, Paula Magalhães, Marta Costa, Carlos Vieira, TERRATREME Filmes, ACE, Jorge Fraga.


SÓNIA BARBOSA | Actriz, encenadora e formadora, licenciada em Estudos Teatrais/Interpretação na ESMAE do Porto, em 1999. Como actriz trabalha em Portugal e Itália com Rogério de Carvalho, Alan Richardson, Pierre Voltz, Nuno Cardoso, Andrej Sadowsky, Graeme Pulleyn, Rafaela Santos, Joana Craveiro, Marta Pazos, Madalena Victorino, Fortunato Cerlino, Francesco Saponaro, Luciano Melchionna, Emanuela Guaiana, Cristina Pezzoli, Letizia Russo, entre outros. É responsável pelas encenações de o Porto a Napoli (Teatro Comunale de Caserta, Itália - 2007), Estilhaços a partir de A. Tchekov (Projeto Off – 2009) Crime e Salvação a partir de Marguerite Yourcenar, (Naco – 2009), Pinóquio a partir de Carlo Collodi, (Companhia Paulo Ribeiro/Teatro Viriato – 2010), Os malandros a partir de Bertolt Brecht (Projeto Off – 2011), Eira a partir de Ana de Castro Osório e Vergílio Ferreira (Naco – 2011), ÁrvoreSer a partir de Ítalo Calvino (Teatro Viriato – 2012), Suspenso a partir de Saviano, Dostoievski, Henry Miller e Dylan Thomas (Jardins Efémeros, 2012), Um Sonho a partir de W. Shakespeare (Projeto Off – 2013), Babel de Letizia Russo (Propositário Azul – 2013), O que é feito de Betty Cristina, a partir de Arnold Wesker e Cristina Ferrão (Naco - 2014) entre outras.


DANIEL PINTO | Tem o curso de Interpretação da ACE. Iniciou o seu percurso profissional em 1999 com Get Off My GardenUm Mundo Muito Próprio - Tributo a Buster Keaton, encenação de Alan Richardson. Integrou elenco em espectáculos como: Linha 18 criação e direcção de Alan Richardson (Teatro Bruto); A Hora em que não sabíamos nada uns dos outros de Handke, direcção de José Wallenstein (TNSJ); A Resistível Ascensão de Arturo Ui de Brecht, encenação de Kuniaki Ida (Teatro do Bolhão); O Despertar da Primavera de Wedekind, enc. Nuno Cardoso (TNSJ); Woyzeck de Büchner, enc. Nuno Cardoso (TNSJ); Mosquete de Angelo Beolco, enc. de Pedro Giestas (Comédias do Minho); D. Juan de Molière, enc. Kuniaki Ida (Teatro do Bolhão); Plasticina de Vassili Sigarev, enc. Nuno Cardoso (TNSJ); Curto-Circuito de Regina Guimarães e Saguenail, enc. Francisco Alves (Teatro Plástico); Ricardo II de Shakespeare, enc. Nuno Cardoso (TDM II);Lado B – Os entertainers de Ricardo Alves (Teatro da Palmilha Dentada); Mexe-te de Fernando Giestas, enc. de Rafaela Santos (Teatro Viriato \ Primeiros Sintomas); Bucket criação, texto e encenação de Ricardo Alves (Teatro da Palmilha Dentada); Platonov de Tchekov, enc. Nuno Cardoso (TNSJ); Psicose de Sarah Kane (As Boas Raparigas); Medeia de Euripides (As Boas Raparigas); A Pedra de Mayenburg, enc. de Cristina Carvalhal (As Boas Raparigas); As Três Irmãs de Tchekov, enc. Nuno Cardoso (TDMII); Inverno a partir do Livro de Job, enc. Nuno Cardoso (Comédias do Minho); Não tenho olhar… de Zeferino Mota, enc. Zeferino Mota (Teatro do Bolhão); Porto S. Bento enc. Nuno Cardoso (Ao Cabo Teatro); A Visita da Velha Senhora enc. Nuno Cardoso (Ao Cabo Teatro); Esta é a minha cidade e eu quero viver nela enc. Joana Craveiro (Teatro do Vestido); Os Negócios do Senhor Julio César adaptação de romance do Bertolt Brecht, enc. Gonçalo Amorim (Teatro Experimental do Porto), entre outras.


FREDERICO LOBO | Nasceu em 1981 no Porto, onde estudou Som e Imagem. Em 2006 frequentou o curso de documentário dos Ateliers Varan, na Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa, no qual realizou a curta-metragem "Entre-Tempos". Desde aí trabalha na área do cinema, nomeadamente em cinema documentário, tendo realizado em 2008 a longa-metragem "Bab Sebta" corealizada com Pedro Pinho e a curta-metragem "Zone d'attente #0". Encontra-se a terminar "Revolução Industrial" uma nova longa-metragem documental. Tem vindo a trabalhar em teatro, com vídeos de criação para "A Mãe", "O jogador" de Gonçalo Amorim, na encenação colectiva de "Centro de Dia" e com colaborações nas criações de João Calixto e Márcia Lança "Mecânica 2" e "Ampliador".


CRISTÓVÃO CUNHA | Licenciado em Comunicação Social na ESEV, tem o curso de Comunicação Audiovisual da Faculdade de Ciências Sociais e de Animação Sociocultural da Universidade de Salamanca. Fez desenho de luz para Paulo Ribeiro (melhor coreografia SPA 2011), Madelena Vitorino (melhor coreografia SPA 2010), Circolando (da qual foi director técnico e desenhador de luz de 2006 a 2011), John Mowat, Romulus Neagu, Patrick Muryes, Ferloscardo,Yola Pinto, Emanuela Guaiana, Anne Kefleck, Almina Aloui, Pieter Michael Dietz, Giacomo Scalisi, Jorge Fraga, Claudio Hauchman, Sónia Barbosa, entre outros. Em 2013 fez o desenho de luz para a instalação “WTF” (working towards fairness), realizada na casa de Aristides de Sousa Mendes, pelo arquiteto nova iorquino Eric Moed. Fez ainda o desenho de luz para o projeto “Canções i comentários” de Rui catalão. Fez a coordenação técnica dos solos de dança de Tânia Carvalho, Olga Roriz e Paulo Ribeiro, no festival New Time New Age do Teatro Viriato, é responsável técnico na digressão nacional e internacional de JIM da CPR. É encenador e director artístico do festival “Palco para dois ou Menos” pela associação NACO em Oliveirinha, Carregal do Sal. É o coordenador técnico do festival Jardins Efémeros em Viseu. É responsável de produção e organização do Project Llull, coprodução entre companhias portuguesas (Propositário Azul, Acert) e espanholas (Companhia Voadora e Teatro de Cerca).