EXPOSIÇÕES, DOCUMENTÁRIOS, CONFERÊNCIAS

NADA A FAZER?

NARV - Núcleo de Arquitectos da Região de Viseu



Local | Rua D. Duarte, 60

Como órgão fundamental, na representação da Arquitectura em Viseu, o Narv foi convidado pela organização dos Jardins Efémeros para a mostra do que poderá “haver que fazer”. Centrando a temática da exposição e das conferências na questão colocada para a ocupação deste espaço na rua D. Duarte - “Nada a Fazer?” - sobre um tema que surgiu nesta IV edição dos Jardins Efémeros como “Para lá do visível”, houve necessidade e oportunidade de mostrar muito do trabalho que vai para além de uma construção de quatro paredes brancas de carácter minimalista.

O “Nada a Fazer” mostra as iniciativas de carácter social, colectivista, informal e de pesquisa de jovens e profissionais, preocupados com as raízes identitárias dos lugares, numa tentativa de melhoria das qualidades de vida, enquanto faz uma reportagem do património português dentro e fora do país.

A exposição de fotografia, vídeo e de curtas metragens falará por si só, ao mesmo tempo que a mesa de debate e conferência se encherá de pessoas importantes e importadas em “fazer algo”, em mostrar o que vai para além do visível, em reportar e reabilitar o que poderá cair no esquecimento e em mostrar o que mais ninguém parece ver.

Com o apoio da Ordem dos Arquitectos da Secção Regional Norte e da Universidade Católica de Viseu.


| EXPOSIÇÕES


Vítor Mestre, “ao (per)correr d(a) vida”

Projecto Terra Amada, Covas do Monte | Fotografia e Vídeo


| DOCUMENTÁRIOS


DIA 11 | A Casa e a Cidade - Episódio 6 “Cidade depois da Cidade

Duração: 26’’

Sessões: 18h30 e 22h00

Ideia original: Ana Tostões

Coordenação Científica: Ricardo Carvalho e Nuno Grande

Realização: Graça Castanheira

Encomenda da RTP2 em Parceria com a Ordem dos Arquitectos

Produção: Pop Filmes

Este episódio aborda a evolução do espaço urbano português após a instauração do regime democrático em 25 de Abril de 1974. O arquitecto Manuel Salgado e o geógrafo Álvaro Domingues descrevem-nos essa relação, simultaneamente profícua e perversa, entre a recente urbanização do território e a democratização do seu governo. O debate sobre o “direito à cidade”, reivindicado por populações e arquitectos durante o PREC – no programa SAAL –, dá lugar, já na década de 80, a uma gestão urbana de raiz tecnocrática e apoiada na “miragem” dos fundos de coesão estrutural atribuídos pela Comunidade Europeia. O território português é, a partir de então, marcado pela infraestruturação rodoviária, pela fixação de novos centros de serviço e de consumo, e pela realização de operações e eventos lúdico-turísticos que arrastam, atrás de si, uma urbanidade difusa sem identidade ou limite precisos. Esta é, pois, a cidade que resulta do fim da cidade canónica, tal como a conhecíamos até aqui.


DIA 12 | A Casa e a Cidade - Episódio 2 “O Bairro”

Duração: 26’37’’

Sessões: 18h30 e 22h00

Ideia original: Ana Tostões

Coordenação Científica: Ricardo Carvalho e Nuno Grande

Realização: Graça Castanheira

Encomenda da RTP2 em Parceria com a Ordem dos Arquitectos

Produção: Pop Filmes

Este episódio aborda o sentido do "bairro" nas suas relações com a cidade e com o habitar. O bairro é o lugar onde a casa começa na rua. Mas será o bairro uma entidade ainda hoje apreensível nas novas expansões urbanas? Inês Lobo é a arquitecta convidada.


DIA 13 | Alastair Parvin: Architecture for the people by the people, TED Talks

Duração: 13’11’’

Sessões: 18h30 e 22h00

TED Conference, 2013

O arquitecto Alastair Parvin apresenta uma simples, mas provocante ideia: e se, ao invés de serem arquitectos a criar edifícios para aqueles que podem pagar as suas comissões, os cidadãos comuns pudessem projectar e construir as suas próprias casas? O conceito é a base de Wikihouse, um kit de construção de código aberto que significa apenas que qualquer pessoa pode construir uma casa, em qualquer lugar.


DIA 14 | Projecto “Cuarto Revelado” - Recetas Urbanas e Remsa

Duração: 13’03’’

Sessões: 18h30 e 22h00

O estúdio Receitas Urbanas desenvolveu uma ideia inovadora: converter dois módulos pré-fabricados, fornecidos pela Remsa, no projecto "Cuarto Revelado”, com a intenção de criar um espaço dedicado à arte e à criatividade. Pode ver este projecto desde a concepção até à execução.


DIA 15 | Young Spanish Architects: Basurama from Madrid

Duração: 22’58’’

Sessões: 18h30 e 22h00

OAF POP-UP: Young Spanish Architects, Oslo Association of Architects. Edição e Curadoria de Ethel Baraona Pohl.

Desde 2008 que os arquitectos têm sido forçados a repensar a sua prática e o seu papel, a fim de fornecerem continuamente respostas para uma situação nova e em constante mudança. No clima económico e político espanhol actual surgiu um novo tipo de "arquitectos" através dos chamados 'colectivos'. Os colectivos são diversas profissões em estreita colaboração: arquitectos, geógrafos, sociólogos, advogados, etc. que trabalham juntos num estágio inicial de identificação e resolução de projectos e captação de recursos para os trabalhar. Surgiu assim um novo tipo de projectos em pequena e grande escala, essencialmente como resultado da crise, que são em grande parte baseados no conceito de "arquitectura não solicitada" e derivada da filosofia “Do It Yourself”.


DIA 16 | InSitu

Duração: 14’34’’

Sessões: 18h00 e 22h00

Laboratório de Intervenção em Arquitectura, organizado pelo CEACT (Centro de Estudos Cidade e Território) da UAL e pelo Vitruvius FabLab do ISCTE.

Coordenação: Filipa Ramalhete, Pedro Campos Costa e Alexandra Paio

Organização: Sérgio Silva e Bárbara Varela.

Este vídeo mostra um workshop em Torrão (Almada) com os alunos orientados por vários tutores, como os A+ LBY Architects, Argot + 1/2 Atelier, Atelier Base, Ateliermob e os Like Architects. A intenção é levar aos alunos a vertente mais prática da construção e, neste caso específico, num território com alguns problemas do ponto de vista do planeamento, numa realidade de arquitectura de cariz espontâneo.


| CONFERÊNCIAS


DIA 17 | 18h00 | Intervenções participativas

Víctor Mestre (Arquitectura, “ao (per)correr d(a) vida”)

Ateliermob (Arquitectura participativa)

João Mendes Ribeiro (Arquitectura, Cenografia)


DIA 18 | 18h00 | Invisibilidades visíveis

Lucien Steil (Arquitectura, “Slow Urbanism & Urban Agriculture”)

José Baganha (Arquitectura, a influência da forma da cidade na saúde pública)


DIA 19 | 18h00 | Uma visão sobre o centro histórico

Carvalho de Araújo (Arquitectura, Centros históricos de Braga)

Pedro Sobral (Arqueologia, o diálogo entre arqueologia e arquitectura na preservação do centro histórico)

Fernando Marques (Sociedade de Reabilitação Urbana de Viseu - SRUV)