CONCERTO

LÓPEZ IMMERSIVE SOUND

Francisco López



Local | Claustro grande do Museu Grão Vasco

Horário | 18 de Julho - 18h30

As performances de Francisco López são para além do “normal” concerto de música, uma rica e intensa experiência sonora imersiva no escuro, com um sistema sonoro multi-channel e com vendas disponibilizadas à entrada. Mundos de sons virtuais criados a partir de uma míriade de fontes sonoras originais, recolhidas em todo o mundo – de florestas tropicais e desertos, a fábricas e edifícios de múltiplas localizações nos cinco continentes – e transformados, ao longo de anos de trabalho de estúdio, através da mestria na composição do universo de López. O espaço é reconfigurado com um sistema de surround multi-channel à volta da audiência, que é colocada em cadeiras distribuídas em círculos concêntricos viradas para fora do sistema de som. O artista faz a sua apresentação no centro do espaço (não no palco) para que possa controlar ao vivo o som e a forma como é ouvido pela audiência.

Francisco López | Internacionalmente reconhecido com uma das figuras maiores da arte sonora e música experimental. A sua experiência no campo da criação sonora e trabalho na gravação ambiental cobre um período de mais de 25 anos, no qual desenvolveu um impressionante universo sonoro que é completamente pessoal e iconoclasta baseado numa profunda escuta do mundo. Já fez centenas de concertos, projectos com recolhas e instalações sonoras em 50 países à volta do mundo, incluindo os principais museus, galerias e festivais como: PS1 Contemporay Art Center (Nova Iorque), Museu de Arte Moderna (Paris), International Film Festival (Roterdão), Festival des Arts (Bruxelas), Darwin Fringe (Darwin, Austrália), Institute of Contemporary Art (Londres), Museu de Arte Contemporânea de Buenos Aires, Museu de Arte Contemporânea de Barcelona, Centro de Arte Contemporânea (Kita-Kyushu, Japão), etc. O seu extenso catálogo de peças sonoras (com colaborações ao vivo e em estúdio com mais de cem artistas internacionais) tem sido publicado por mais de 170 companhias discográficas por todo o mundo, tendo-lhe sido atribuída por três ocasiões uma menção honrosa pelo Ars Electronica Festival (Linz).